REGULAMENTO COPA MOGI DE MOTOCROSS AMADOR 

CAPÍTULO I  

Art. 1 – A fazenda ASW e a equipe TERWAK, idealizadores e organizadores da Copa Mogi de Motocross Amador, realizarão campeonato denominado “Copa Mogi de Motocross Amador” no ano de 2.018. 
Art. 2 – Este regulamento entrará em vigor na data de sua publicação. 
Art. 3 – A Copa Mogi de Motocross Amador será realizada em 05 (cinco) etapas, todas na pista da Fazenda ASW.  

CAPÍTULO II 

Art. 4 – As etapas serão pré-estabelecidas e sem alterações de data, exceto em caso furtuito ou de força maior como intempéries naturais que possam colocar em risco a segurança dos participantes e público em geral, sendo que tal decisão será determinada pelo comissário de prova, diretor de prova e diretor de pista. 

CAPÍTULO III 

Art. 5 – Todas as etapas, sem exceção, serão realizadas na Pista da Fazenda ASW com o traçado que estiver disponível no sábado que antecede a etapa, em todas as etapas o traçado poderá ser alterado a critério dos organizadores. 
§ ÚNICO – Em todas as etapas a pista estará devidamente gradeada e molhada, exceto em dias de chuva onde será realizada avaliação das condições da pista pelo comissário de prova, diretor de prova e diretor de pista; em todas as etapas o Gate de largada contará com a capacidade de 22 (vinte e duas) motocicletas sem exceção. 

CAPÍTULO IV 
Art. 6 – O campeonato será disputado com as seguintes categorias: 
 “MX1” – motocicletas importadas e específicas para o motocross de 450cc quatro tempos ou 250cc dois tempos; “MX2” – motocicletas importadas e específicas para o motocross de 250cc quatro tempos ou 125cc dois tempos; “Mx3” - pilotos acima com no mínimo 30 (trinta) anos de idade completos, na data da etapa com motocicletas de qualquer cilindrada acima de 230; ”Mx4” – pilotos com no mínimo 40 (quarenta) anos de idade completos na data da etapa, com motocicletas de qualquer cilindrada acima de 230; “Mx5” – pilotos acima de 50 (cinquenta) anos de idade completos na data da etapa, com motocicletas de qualquer cilindrada acima de 230; “Nacional”  – motocicletas de fabricação nacional acima de 230 cilindradas; “Intermediária A/B” – motocicletas nacionais ou importadas acima de 230cc, “Novato” - motocicletas nacionais ou importadas acima de 230cc,  “Feminina A” - motocicletas importadas de 450cc, 250cc ou 125cc, específicas para a prática do motocross, “Feminina B” - motocicletas nacionais de até 250cc; “Open-Pró” - motocicletas nacionais ou importadas acima de 230cc; “INFANTIL” – motocicletas nacionais ou importadas de 50cc, 110cc ou 65cc.  
Art. 7 – Todas as categorias deverão ter no mínimo 8 (oito) motocicletas para realização da largada, caso isto não ocorra poderão largar duas categorias compatíveis ao mesmo tempo com pontuação individual para cada categoria específica. 
Art. 8 – Para inscrição nas categorias MX3, MX4 e MX5 o piloto deverá apresentar documento oficial com foto em via original para comprovação de sua idade, sem exceção. 
§ Único - É permitida a inscrição de pilotos da categoria MX5 na categoria MX4 ou MX3, assim como também é permitida a inscrição do piloto da categoria MX4 na categoria MX3, contudo não é permitida a inscrição do piloto da categoria MX3 nas categorias MX4 e MX5, assim como também não é permitida a inscrição do piloto da categoria MX4 na categoria MX5.  
Art. 9 – As categorias MX1, MX2, MX3, MX4, MX5, intermediária A/B, Feminina A/B, Nacional, Novato e Infantil são destinadas a pilotos amadores; 
 § 1º - A categoria “intermediária A”, é destinada a pilotos com tempo de volta completa mínimo de 1:35 (um minuto e trinta e cinco segundos), sem qualquer tolerância. O piloto que completar a volta em tempo abaixo do estipulado para esta categoria será desclassificado da etapa, durante ou após o término da prova, sendo que a desclassificação durante a prova será através de sinalização com bandeira preta agitada pelo diretor de prova ou diretor de pista, sinalização esta que deverá ser obedecida pelo piloto de forma segura e imediata sob pena de banimento do campeonato, a critério da comissão formada pelo comissário de prova, diretor de prova e diretor de pista. 
A categoria “intermediária B”, é destinada a pilotos com tempo de volta completa mínimo de 1:38 (um minuto e trinta e oito segundos), sem qualquer tolerância. O piloto que completar a volta em tempo abaixo do estipulado para esta categoria será desclassificado da etapa, durante ou após o término da prova, sendo que a desclassificação durante a prova será através de sinalização com bandeira preta agitada pelo diretor de prova ou diretor de pista, sinalização esta que deverá ser obedecida pelo piloto de forma segura e imediata sob pena de banimento do campeonato, a critério da comissão formada pelo comissário de prova, diretor de prova e diretor de pista. 
§ 2 - A categoria “Nacional”, é destinada a pilotos com motocicletas de fabricação nacional de até 250cc.                                                             
§ 3 - A categoria “Feminina A”, é destinada a pilotos com motocicletas importadas de 450cc, 250cc ou 125cc, específicas para a prática do motocross. 
A categoria “Feminina B”, é destinada a pilotos com motocicletas de fabricação nacional de até 250cc. 
§ 4 - A categoria “Novato”, é destinada a pilotos iniciantes que não completem o triplo existente na pista, com tempo de volta completa mínimo de 1:44 (um minuto e quarenta e quatro segundos), sem qualquer tolerância. O piloto que emendar o triplo ou completar a volta em tempo abaixo do estipulado para esta categoria será desclassificado da etapa, durante ou após o término da prova, sendo que a desclassificação durante a prova será através de sinalização com bandeira preta agitada pelo diretor de prova ou diretor de pista, sinalização esta que deverá ser obedecida pelo piloto de forma segura e imediata sob pena de banimento do campeonato, a critério da comissão formada pelo comissário de prova, diretor de prova e diretor de pista. 
§ 5 - A categoria “Infantil”, é destinada a pilotos amadores com motocicletas de 50cc, 110cc ou 65cc, esta categoria é exclusivamente de exibição e incentivo a prática do motocross, sendo que esta categoria não contará pontos para o campeonato, contudo seguirá todas as demais normas deste regulamento no que couber, a critério da comissão formada pelo comissário de prova, diretor de prova e diretor de pista. 
§ 6 - A categoria “intermediária PRÓ”, é destinada a pilotos com tempo de volta completa mínimo de 1:32 (um minuto e trinta e dois segundos), sem qualquer tolerância. O piloto que completar a volta em tempo abaixo do estipulado para esta categoria será desclassificado da categoria, durante ou após o término da prova, sendo que a desclassificação durante a prova será através de sinalização com bandeira preta agitada pelo diretor de prova ou diretor de pista, sinalização esta que deverá ser obedecida pelo piloto de forma segura e imediata sob pena de banimento do campeonato, a critério da comissão formada pelo comissário de prova, diretor de prova e diretor de pista. 
§ 7 - A categoria “Open-Pró”, é destinada a pilotos profissionais ou amadores. 
§ ÚNICO – Todas as baterias serão cronometradas e controladas através do sistema de transponder, havendo falha no sistema será válida a marcação manual realizada pelo setor de cronometragem, não será aceito em nenhuma hipótese cronometragem externa. 

CAPÍTULO V  

Art. 10 – Serão realizados treinos livres nos sábados que antecederem as etapas em horário pré-determinado com antecedência mínima de 05 (cinco) dias e treinos cronometrados no dia da etapa também em horários pré-determinado com antecedência mínima de 05 (cinco) dias.                     Art. 11 – O treino cronometrado será dividido em categoria nacional, motocicletas de numeral par e motocicletas de numeral ímpar, com o tempo de 10 minutos para cada categoria de treino. 
§ Único – O treino cronometrado é de reconhecimento de pista, para que cada piloto possa se ambientar com a pista no dia da etapa, neste treino todas as categorias estarão juntas de acordo com a categoria da motocicleta, portanto, todo piloto deve realizar este treino com o máximo de cautela, qualquer ato praticado durante este treino que venha ocasionar danos patrimoniais ou físicos será julgado pela comissão formada pelo comissário de prova, diretor de prova e diretor de pista que poderão penalizar o piloto causador do acidente com a desclassificação da etapa, desclassificação do campeonato ou banimento do campeonato a critério desta comissão.  
Art. 12 – A manutenção da  pista durante a etapa se dará eventualmente, se necessário, a critério da comissão formada pelo comissário de prova, diretor de prova e diretor de pista. 
Art. 13 – O tempo de cada bateria será de 15 (quinze) minutos + uma volta. 
Art. - 14 – A categoria infantil terá  tempo de 10 (dez) minutos + uma volta. 
Art. - 15 – A placa de 01 (uma) volta será sinalizada ao líder da prova pelo diretor de prova na volta imediata após a decorrência de 15 (quinze) minutos de prova.  
Art. – 16 - A ordem de entrada no GATE na primeira etapa será estabelecida pela de ordem de inscrição. A inscrição será considerada efetuada após o pagamento da taxa de inscrição. 
§ Único – A partir da 2ª etapa a ordem de entrada no Gate será feita de acordo com a classificação de pontos, em forma crescente. 


CAPÍTULO VI 

Art. 17 – As inscrições serão realizadas nas datas estabelecidas e veiculadas, além de serem realizadas também no sábado que antecede a etapa e no dia da realização da etapa antes do início da primeira largada quando a secretaria de prova será fechada. 
§Único - Ao realizar a inscrição, o piloto, seu representante ou responsável legal, reconhece e concorda imediatamente com os termos deste regulamento eximindo a equipe organizadora, patrocinadores, equipe de apoio, diretores, e auxiliares de qualquer responsabilidade cível ou criminal, conhecendo os riscos inerentes á pratica da modalidade esportiva motocross. 
Art. 18 – O valor das inscrições para qualquer categoria, exceto infantil, será pré-estabelecido da seguinte forma: cada piloto pagará, a cada etapa, o valor integral determinado em cada etapa para inscrição da primeira categoria e 50,00% (cinquenta por cento) do valor integral para as demais categorias que caso venha a se inscrever. 
Art. 19 – Os pilotos que virem a treinar no sábado que antecede cada etapa pagarão o valor normal de treino e no momento de efetivação de sua inscrição o valor pago no treino do sábado será abatido da primeira inscrição sendo que para as demais categorias que caso venha a se inscrever seguirá a regra estabelecida no artigo anterior. 

CAPÍTULO VII  

Art. 20 – A sinalização de pista durante a realização da etapa será realizada em conformidade com as normas internacionais de segurança, através de bandeiras manuseadas pelo diretor de prova, diretor de pista e oficiais de pista e devem ser obedecidas por todos os pilotos sem exceção com as seguintes especificações: 
Bandeira VERDE: será utilizada para autorizar o acionamento dos motores e sinalizar ao diretor de prova que a largada poderá ocorrer de forma normal. 
Bandeira VERMELHA: será utilizada exclusivamente pelo diretor de prova, indicando que todos os pilotos obrigatoriamente devem parar. Será utilizada para informar cancelamento da largada e também para interrupção da prova, por qualquer motivo que a justifique e a critério exclusivo do diretor de prova, sendo que, se decorridos mais de 50,00% (cinquenta por cento) do tempo de prova será encerrada com a classificação dos pilotos na última volta antes da sinalização. Se não decorridos 50,00% (cinquenta por cento) do tempo da prova, a bateria terá nova largada com tempo total. Ocorrendo nova paralisação, a bateria será considerada nula para todos os efeitos. 
Bandeira AMARELA: será utilizada pelo diretor de prova, diretor de pista e oficiais de pista, indica que há perigo na pista de qualquer natureza, acidente, motocicleta com problemas mecânicos, piloto caído ou outro motivo que exija a sua utilização, quando agitada ou apresentada ao piloto de forma estática, é terminantemente proibida ultrapassagem ou emenda de mesa ou obstáculo no setor da pista. 
Bandeira BRANCA COM CRUZ VERMELHA: atendimento médico na pista PROIBIDO ultrapassagem, emenda de mesa ou obstáculo naquele setor. 
Bandeira AZUL: será utilizada pelo diretor de prova, diretor de pista e oficiais de pista sendo agitada para informar ao piloto retardatário que este deve facilitar a ultrapassagem do piloto que está lhe dando volta sem colocar e risco sua pilotagem ou de qualquer outro piloto. Bandeira PRETA: utilizada pelo diretor de prova ou diretor de pista em conjunto com placa indicativa com numeral do piloto informando que este foi DESCLASSIFICADO da prova pelo motivo apresentado na sessão PENALIDADES ou por outro motivo que a justifique. 
Bandeira QUADRICULADA: será utilizada exclusivamente pelo diretor de prova e agitada a todos os pilotos informando o término da prova. 
§Ùnico – Qualquer piloto que desobedecer a sinalização apresentada a ele pelo diretor de prova, diretor de pista e oficiais de pista, será julgado pela comissão formada pelo comissário de prova, diretor de prova e diretor de pista, podendo incorrer na penalidade de desclassificação da prova, desclassificação do campeonato ou banimento do campeonato, a critério da comissão. 

CAPÍTULO VIII  

Art. - 21 – Todas as largadas ocorrerão no máximo da capacidade do GATE, em caso de número maior de pilotos do que a capacidade do GATE de largada a comissão formada pelo comissário de prova, diretor de prova e diretor de pista, determinarão a forma de classificação a seu critério. 
Art. - 22 – Todos os pilotos devem se apresentar no parque fechado para conferência e instalação de transponder imediatamente após a chamada de apresentação que ocorrerá com no mínimo 15 (quinze) minutos de antecedência de sua largada, caso o piloto não se apresente ao parque fechado em tempo hábil estará desclassificado da etapa. 
Art. - 23 – Os horários de treinos e largadas serão devidamente veiculados e anunciados devendo cada piloto obter informações do horário de largada de sua categoria no ato da inscrição. 
Art. - 24  - Após o encerramento do tempo de apresentação no parque fechado nenhum piloto poderá entrar no parque fechado e consequentemente na pista em nenhuma hipótese. 

CAPÍTULO IX  

Art. - 25 – A pista ASW possui área de Pit Lane que será de uso exclusivo para mecânicos ou auxiliares do piloto na proporção de 01 (um) mecânico OU 01 (um) auxiliar por piloto, que deverá permanecer DENTRO da área do Pit Lane. 
§Único – Qualquer mecânico ou auxiliar que ultrapassar o limite ou NÃO permanecer DENTRO da área de Pit Lane, terá seu piloto desclassificado da etapa. 
Art. - 26 – Somente terá acesso a área de Pit Lane e Pista, piloto, mecânico ou auxiliar de piloto utilizando CREDENCIAL fornecida no ato da inscrição na proporção de uma credencial de piloto e uma de auxiliar independente do número de categorias que o piloto irá disputar. 
Art. - 27 – Na ocorrência de acidente a equipe médica acionada deverá ingressar na pista para prestar o devido socorro mediante autorização do Diretor de Pista, que indicará o momento adequado que não coloque em risco a segurança dos pilotos e da própria equipe de socorro. 

CAPÍTULO  X  

Art. – 28 – Para participação de qualquer bateria em todas as etapas será obrigatória a utilização de equipamentos de segurança todos em bom estado sendo eles:  Capacete apropriado para a prática do Motocross, óculos apropriado para a prática do motocross, colete de proteção apropriado para o motocross, botas específicas para o motocross, camisa e calça apropriados para a prática do motocross. 
§Único – A ausência de qualquer equipamento de segurança descritos neste artigo, ou impossibilidade de uso pelo estado de conservação impedirá a participação do piloto até que o mesmo se apresente com o equipamento adequado ou substitua aquele que não esteja em bom estado de conservação ao fim que se destina, tal análise será realizada pelo diretor de pista e a decisão final será prolatada pela comissão formada pelo comissário de prova, diretor de prova e diretor de pista.  

CAPÍTULO XI  

Art. – 29 – Em todas as etapas a comissão julgadora será composta pelo comissário de prova, diretor de prova e diretor de pista.  
Art. – 30 – Toda e qualquer infração a este regulamento ou requerimento de qualquer piloto em detrimento deste regulamento deve ser efetuada através de recurso próprio por escrito e encaminhado à comissão Julgadora, através da secretaria de prova, mediante pagamento de taxa no importe de R$ 300,00 (trezentos reais) e em até 30 minutos após o encerramento da bateria, decorrido este prazo nenhum recurso será aceito. NÃO SERÃO ACEITAS RECLAMAÇÕES VERBAIS DE QUALQUER NATUREZA EM HIPÓTESE NENHUMA.  
Art. – 31 – Todo recurso apresentado à comissão julgadora será analisado e, se julgado PROCEDENTE, o requerimento será atendido e o valor da taxa recursal será restituído integralmente ao recorrente. Em caso de julgamento IMPROCEDENTE, a direção de prova manterá a decisão recorrida e o valor da taxa recursal será mantido. 

CAPÍTULO XIII 
                                                             
Art. – 32 – Os pilotos da 1ª à 5ª colocação de cada etapa em cada categoria serão premiados com troféus. A categoria infantil não receberá troféu. 

CAPÍTULO XIV 

Art. – 33 – A pontuação de cada etapa contemplará do 1º ao 15 colocado em cada categoria com os seguintes valores: 
1º  Lugar – 25 Pontos; 2º Lugar – 22 Pontos; 3º Lugar - 20 Pontos;  4º Lugar- 18 
Pontos;             5º Lugar – 16 Pontos; 6º Lugar - 14 Pontos; 7º Lugar - 12 Pontos;  8º Lugar- 10 
Pontos; 9º Lugar - 08 Pontos;  10º Lugar – 06 Pontos; 11º Lugar – 05 Pontos; 12º Lugar – 04 
Pontos;  13º Lugar –  03 Pontos;  14º Lugar -  02 Pontos;  15º Lugar – 01 Pontos. 
Art. – 33 – Será declarado campeão o piloto de cada categoria que obtiver o maior número de pontos na somatória das cinco etapas, não haverá descarte, EM CASO DE EMPATE SERÁ DECLARADO CAMPEÃO O PILOTO QUE OBTEVE A MELHOR COLOCAÇÃO NA ÚLTIMA ETAPA. 
Art.- 34 – A premiação do campeão, Vice-Campeão e terceiro colocado de cada categoria, exceto categoria infantil, será realizado em cerimônia que será determinada pelos idealizadores do campeonato em data e local previamente divulgados, ocorrerá a entrega de troféus aos campeões, vice-campeões de terceiro lugar de cada categoria. 
Art. – 35 – este regulamente foi elaborado com a finalidade de realizar um campeonato saudável, justo e prazeroso a todos os participantes, idealizadores e organizadores, além de divulgar e incentivar a prática do Motocross.